5 de abril de 2011

Notícia: Após ter trigêmeos, pais rejeitam um dos bebês no Paraná

Vocês devem ter visto a triste notícia de um casal que teve trigêmeos no Paraná, e rejeitaram um dos bebês. Fico tentando entender o desespero destes pais para chegar ao ponto de escolher as filhas que iriam para casa. E me preocupa ainda mais saber que eles perderam o equilíbrio antes mesmo de saber o trabalho real que é cuidar de um trio. Considerando o que viria pela frente acho que o conselho tutelar fez bem em retirar os três bebês destes pais, porque realmente ainda não estão preparados para dar amor para nenhum dos bebês.

Vivi este momento de parir 3 bebês há apenas 5 meses, e ouvir esta história me fez relembrar alguns momentos de desespero vividos. 

Quando soube que estava grávida de três bebês fiquei assustada também porque sabia dos riscos da gestação múltipla, mas a natureza é tão perfeita que nos dá tempo para aceitar e aprender a administrar a nova fase. Você começa a sentir os bebês se mexendo dentro da barriga, e acompanhar as ultrasons ao ponto de você não mais conseguir se imaginar tendo um filho só. E com todo este amor crescendo dentro de você, a gente se sente forte para aguentar qualquer parada e realmente é necessário dedicação e doação completa. Meu maior medo e pesadelo era de parir somente 2 bebês ou sair do hospital somente com dois.

Lembrei também da fase da UTI, onde meus bebês passaram alguns dias somente para ganhar peso, Vinicius e Sofia sairam mais rápido, mas Nicolas não queria comer, eu passava horas com o Nicolas no colo pedindo para que ele aceitasse o leite para podermos levá-lo para casa, meu marido ficava o tempo inteiro falando no pé do ouvido dele "Nicolas quer casa" como se fosse um mantra e encostávamos ele no nosso peito para ele sentir nosso amor para que reagisse mais rápido. 

Fora toda doação que uma mãe precisa dar, abdicar de horas e mais horas de sono, abdicar de momentos de lazer, abdicar da vaidade por um momento, abdicar da sua individualidade e a constante sensação de culpa por não conseguir se dedicar aos três igualmente durante o dia. 
Enquanto estava no hospital recebemos a visita de uma amiga da família que é pediatra que nos disse que eu iria sentir em algum momento vontade de jogar os bebês pela janela, e ela disse bem enfática "mas não faça isto porque a vontade passará" e na época não entendemos a dimensão daquele conselho que até me chocou um pouco, mas depois de algum tempo você percebe que diversas vezes no meio das depressões, privação de sono e choradeiras sem fim, bate um certo desespero, que pode ser manisfestado de diversas formas, então é neste momento que precisamos retornar ao equilíbrio. Hoje aprendi que nestes momentos de desespero,quando por algum motivo não consigo acalmar um dos bebês, eu começo a beijá-los e desta forma o bebê e eu começamos a ficar mais calmos.

Portanto, se uma futura mãe de trigêmeos acha que sabe o que vai passar pode ter certeza que o trabalho não é nem metade do que ela pensa, digo isto de camarote, o trabalho é incessante mas o amor é uma curva crescente e exponencial que compensa todo e qualquer cansaço físico.  Seria fácil julgar este casal mas fico imaginando o tamanho do desespero deles e espero que não seja "frieza" mesmo, para que chegassem ao ponto de escolher qual bebê levar para casa e pior ainda é querer deixar para trás, abandonado, o bebê que mais precisa dos cuidados e carinho dos pais. Eles não pediram para nascer! E apesar de ter sido inseminação (FIV), foi Deus que nos deu esta benção, porque a estatística de acertar de primeira em um trio é de apenas 5%. Portanto, pais de trigêmeos, vocês não tiveram sorte em ter três bebês mas sim uma recompensa, logo continuem a fazer por merecer.


2 comentários:

  1. É simplesmente apavorante esta notícia! Nunca imaginei saber de algo assim...até "tentaria" entender se a gravidez múltipla fosse espontânea e o casal de classe baixa baixíssima. Fora isso, não há a menor e nem aceitável justificativa.
    O conselho tutelar fez a melhor coisa pq como vc mesmo disse, eles não estão preparados para dar amor nem se quer a um bebê, diria que nem a um cachorrinho. O fato de terem escolhido dois, só faz mostrar a tamanha frieza e não desespero. Desespero pra mim, é outra coisa e levaria este casal a tomar outras atitudes. Isso é maldade, frieza, falta de Deus.
    Nunca tive babá como vc já deve saber, e no meu único momento de desespero (aí sim foi desespero) eu coloquei os meus joelhos no chão e clamei por misericórdia enquanto os 3 berravam, o Daniel de refluxo, a Sara de cólica e o Samuel sei lá de quê... até hj faço isso diariamente e nunca mais me senti sobrecarregada a ponto de perder o equilíbrio.
    Graças a Deus tenho uma vida confortável, mas nunca pensei em fazer diferente, até a escolinha estou postergando. Colocarei ano que vem ao completarem 3 anos.
    Enfim, não dá pra entender o que se passa na cabeça desse casal. Pior pra eles, que nunca vão sentir o que nós sentimos, a trialegria, a trirealização, a triconquista, a trivitória. Nunca se sentirão Triabençoados.
    Mil bjs querida, seu trio está lindo e cheio de saúde e amor.

    ResponderExcluir
  2. Que Lindo o comentário Tekinha.
    Olhe sinceramente o mundo está passando por grandes transformações e isso reflete a mudança de clima, no ecosistema enfim...as pessoas também estão se transformando a cada dia que se passa numa velocidade em que tá difícil entender a mente humana, hoje as pessoas andam tão estressadas, chateadas, que esquecem que a felicidade está literalmente nas pequenas coisas.
    Quem sou eu pra julgar a atitude desse casal, eu apenas procuro entender como um casal que optou por inseminação artificial, que gastaram com tratamento, que seguiram todos os passos direitinho, que desejaram ter filhos e de repente em três querer apenas 2.
    Sinceramente como mãe de apenas uma menina (por sinal LINDA)eu posso até tentar imaginar como é a vida de mãe de trigemeos, mas jamais saberei, e ser mãe de 1 não é fácil quanto mais de três... eu sempre amei muito minha mãe, mas confesso que a partir do momento que minha filha nasceu o meu amor e adimiração se multiplicou confesso por mais que desejasse a maternidade e achasse que estava preparada em 100% para ser mãe, ao ser mãe de fato vi que não sabia de nada, tanto que li... mas só a pratica, o dia a dia para nos dá a paciência, dedicação e isso é fruto do amor que temos dentro de nós... enfim o fato é que a maravilha da maternidade é realmente essa de se descobrir, de aprender, de superar tudo, de dedicação exclusiva, de abdicação de tantas coisas em prol de uma vida pequenina que se inicia.
    Não adianta dizer que é fácil no início que não é, tem a questão dos hormonios, noites em claro, cólicas... e infelismente tem pessoas que não aguentam a pressão e simplesmente explodem... o que você falou ai Tekinha é o mais puro relato da vida de uma mãe e multiplicado por três.
    Como sempre desejo a você tudo de melhor e para o trio junto com o amigo Roberio, adoramos vocês.
    beijos do Tri Luciana, Katiuscio e Giovanna

    ResponderExcluir
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...