28 de abril de 2011

Sorriso gostoso!

Sofia sofre muito com refluxo e sofreu ainda mais com a alergia aos leites que tomava, sentia azia e gritava de dor. Há duas semanas a pediatra receitou para Sofia o leite Pregomim Pepti da Danone, que é uma dieta (leite) hipoalergênica, à base de proteína extensamente hidrolisada de soro de leite. 
O resultado é que Sofia ficou mais feliz e muito mais calma. Chegou a tomar Label para azia também, mas depois que trocou o leite não precisamos mais dar. O refluxo continua e para controlá-lo um pouco ela utiliza o Motilium. 
Segundo a pediatra muitos bebês possuem refluxo até uns 2 anos de idade, período também que pode reduzir sua alergia a proteina do leite de vaca. Até lá papai vai gastar uma nota no leite especial da Sofia.

Curtam a mais nova fase da Sofia, um bebê risonho e mais feliz.
Amamos nossa princesa Sofia!
 


24 de abril de 2011

Feliz Páscoa!!! Schöne Ostern! Happy Easter!

Chegou a nossa primeira comemoração da Páscoa! Tia Carol e Alice mandaram os ovinhos do Rio e Papai nos deu ovos de verdade recheados de chocolate para registrar este momento de alegria que é celebrar a ressurreição de Jesus Cristo.

Como não podia faltar a imagem do coelho que é o símbolo da fertilidade, mamãe tratou de encomendar logo 3 coelhinhos, ela se lembrou das aulas de artes e pintou e bordou com a gente. E assim nós representamos o renascimento de Jesus. 

Vinicius, Sofia e Nicolas na Páscoa de 2011




 Desejamos a todos Feliz Páscoa, Schöne Ostern, Happy Eastern!

5 de abril de 2011

Notícia: Após ter trigêmeos, pais rejeitam um dos bebês no Paraná

Vocês devem ter visto a triste notícia de um casal que teve trigêmeos no Paraná, e rejeitaram um dos bebês. Fico tentando entender o desespero destes pais para chegar ao ponto de escolher as filhas que iriam para casa. E me preocupa ainda mais saber que eles perderam o equilíbrio antes mesmo de saber o trabalho real que é cuidar de um trio. Considerando o que viria pela frente acho que o conselho tutelar fez bem em retirar os três bebês destes pais, porque realmente ainda não estão preparados para dar amor para nenhum dos bebês.

Vivi este momento de parir 3 bebês há apenas 5 meses, e ouvir esta história me fez relembrar alguns momentos de desespero vividos. 

Quando soube que estava grávida de três bebês fiquei assustada também porque sabia dos riscos da gestação múltipla, mas a natureza é tão perfeita que nos dá tempo para aceitar e aprender a administrar a nova fase. Você começa a sentir os bebês se mexendo dentro da barriga, e acompanhar as ultrasons ao ponto de você não mais conseguir se imaginar tendo um filho só. E com todo este amor crescendo dentro de você, a gente se sente forte para aguentar qualquer parada e realmente é necessário dedicação e doação completa. Meu maior medo e pesadelo era de parir somente 2 bebês ou sair do hospital somente com dois.

Lembrei também da fase da UTI, onde meus bebês passaram alguns dias somente para ganhar peso, Vinicius e Sofia sairam mais rápido, mas Nicolas não queria comer, eu passava horas com o Nicolas no colo pedindo para que ele aceitasse o leite para podermos levá-lo para casa, meu marido ficava o tempo inteiro falando no pé do ouvido dele "Nicolas quer casa" como se fosse um mantra e encostávamos ele no nosso peito para ele sentir nosso amor para que reagisse mais rápido. 

Fora toda doação que uma mãe precisa dar, abdicar de horas e mais horas de sono, abdicar de momentos de lazer, abdicar da vaidade por um momento, abdicar da sua individualidade e a constante sensação de culpa por não conseguir se dedicar aos três igualmente durante o dia. 
Enquanto estava no hospital recebemos a visita de uma amiga da família que é pediatra que nos disse que eu iria sentir em algum momento vontade de jogar os bebês pela janela, e ela disse bem enfática "mas não faça isto porque a vontade passará" e na época não entendemos a dimensão daquele conselho que até me chocou um pouco, mas depois de algum tempo você percebe que diversas vezes no meio das depressões, privação de sono e choradeiras sem fim, bate um certo desespero, que pode ser manisfestado de diversas formas, então é neste momento que precisamos retornar ao equilíbrio. Hoje aprendi que nestes momentos de desespero,quando por algum motivo não consigo acalmar um dos bebês, eu começo a beijá-los e desta forma o bebê e eu começamos a ficar mais calmos.

Portanto, se uma futura mãe de trigêmeos acha que sabe o que vai passar pode ter certeza que o trabalho não é nem metade do que ela pensa, digo isto de camarote, o trabalho é incessante mas o amor é uma curva crescente e exponencial que compensa todo e qualquer cansaço físico.  Seria fácil julgar este casal mas fico imaginando o tamanho do desespero deles e espero que não seja "frieza" mesmo, para que chegassem ao ponto de escolher qual bebê levar para casa e pior ainda é querer deixar para trás, abandonado, o bebê que mais precisa dos cuidados e carinho dos pais. Eles não pediram para nascer! E apesar de ter sido inseminação (FIV), foi Deus que nos deu esta benção, porque a estatística de acertar de primeira em um trio é de apenas 5%. Portanto, pais de trigêmeos, vocês não tiveram sorte em ter três bebês mas sim uma recompensa, logo continuem a fazer por merecer.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...